5 de abril de 2018

Eu descobri quê

Eu descobri quê: Sempre paguei para fazer minha sobrancelha e as pessoas afinavam bastante. Eu não reclamava, afinal sobrancelha fina era o único modelo que eu já havia usado e achava bom. Porém resolvi deixar ela crescer e comprei uma gilete para eu mesma tentar faze-la. Fiquei com medo de cagar tudo, ficar uma fina e uma grossa, não ficar legal. Todavia ficou muito bom. Não tão bem feita, porém do meu agrado. Não ficou fina, ficou curvadinha e grossa. E eu descobri que gosto da minha sobrancelha grossa.

Eu descobri quê: Já tive muitos altos e baixos. Mas baixos que altos, confesso. Porém esse ano estou aprendendo a equilibrar as coisas. Estou me amando mais, me valorizando mais e entendendo que tudo bem ser do jeitinho que eu sou. Estou cada dia mais liberta das minhas prisões mentais e descobri que estou me tornando uma pessoa melhor a cada dia que passa. Melhor pra mim.

Eu descobri quê: Eu já chorei muito por sentir a solidão preencher o meu ser e o vazio invadir o meu coração. Eu já chorei por falta de afeto, falta de amigos e por necessidade de falar sem ter alguém para me escutar. Eu já estive realmente só, eu estou só. Porém eu descobri que está tudo bem ser sozinha. Está tudo bem mesmo

Eu descobri quê: Meu amigos sempre me falaram que sou orgulhosa e que não corro atrás das coisas que quero - coisas relacionadas as pessoas - e eu sempre me negava a enxergar isso. Já perdi amigos pela falta de interesse que eu demonstrava, já perdi "ficantes" por falta de demonstração de interesse e já me fud* muito por causa do orgulho besta. Porém eu descobri que tudo bem demonstrar o que sente. Tudo bem pedir perdão, dá o braço a torcer, falar que ama, demonstrar.

Eu descobri quê: Eu penso muito. Eu penso no que fiz, no que não fiz, no que irei fazer. Eu penso no que vou comer amanhã, penso na roupa que vou vestir na semana que vem e penso em como vou ser quando "crescer". Eu penso muito, e isso acaba me tornando uma pessoa ansiosa, aflita e agoniada. Eu descobri que o meu pensamento exagerado pode ser, um dia, a minha destruição.

7 comentários:

  1. Me enxerguei em muitas partes do seu texto <3
    Está sim tudo bem em estar só, somos amor e temos isso a oferecer, quem souber aproveitar, que aproveite

    https://docristal.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. ESSE POST É TÃO INSPIRADOR!
    A forma como você compartilha pensamentos, vivências e aprendizados... esse é realmente meu tipo de leitura favorita! Amei o post muitíssimo e é minha primeira vez aqui no blog, mas sinto que depois desse hino de texto, essa não será minha última vez! Obrigada pela inspiração!

    https://goodvaibes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Não há nada mais libertador que começar conhecer a si mesmo. Libertador, pois, é a partir dessa percepção que podemos ir aparando arestas, promovendo mudanças e abandonando tudo aquilo que não nos serve!

    ResponderExcluir
  4. Oi, Anivy. Tava aqui observando e absorvendo por alguns segundos toda a simplicidade desse espaço. Aí li o texto e vim comentar. Fiquei muito encantada com cada palavra e senti empatia por ti. Quanta sensibilidade e inspiração. Beijos

    ResponderExcluir
  5. Apesar de tudo eu me identifiquei muito com esse último parágrafo. Eu penso tanto que isso acaba me prejudicando muitas vezes. E eu queria muito pensar mais assim, como estás aprendendo. Mas com esse post eu consegui ter uma visão mais diferente das coisas agora, mais boa. E sou grata a você por isso ♡

    ResponderExcluir
  6. Oi, Anivy!
    Eu adorei seu texto e me identifiquei muito com ele.
    Foi ótimo ler o que você disse pra sobrancelha, pois tenho o mesmo problema que você. Gosto da minha sobrancelha grossa, mas cada vez que faço, ela afina um pouco. Já pedi para deixar grossa, mas não volta ao que era antes. Um saco!
    E também já fui muito fechada, achando que o orgulho e a falta de demonstração de sentimentos era algo bom, porém não é! Hoje eu digo o que quero, quando quero e peço desculpas quando acho necessário. É a melhor coisa, né?
    Adorei o texto. Parabéns!
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderExcluir
  7. Eu descobri teu blog tem pouco tempo.

    Teve um trecho nesse teu texto que me fez pensar bastante sobre o momento em que estou passando. É que eu estou brigado com a minha melhor amiga e fiquei com vontade de mandar para ela o trecho que você fala sobre orgulho. Porque ela é a pessoa mais orgulhosa desse mundo e isso tá deixando ela cada vez mais cega e vejo que aos poucos e sem querer, ela estar me afastando.

    Enfim, espero que dentre suas várias descobertas, você encontre uma que ajude na questão da ansiedade. Sei que não é fácil, mas tenta começar a tratar isso de algum jeito.

    Tem um livro chamado Pressa de Ser Feliz. Fala sobre isso e ajuda sem precisar ser autoajuda.

    Boa noite, beijos.
    Sem Guarda-Chuvas

    ResponderExcluir

oncontextmenu='return false'