18 de março de 2018

Hoje eu chorei porque senti falta de pessoas que não existem

Hoje eu chorei. Não porque eu quis chorar ou porque algo terrível aconteceu, não. Hoje eu chorei porque senti falta de pessoas que não existem. Hoje eu chorei pela necessidade do choro, pela falta de afeto e por vontade de por pra fora as angustias do meu coração. Hoje eu chorei porque não tive alguém do meu lado para falar que tudo é uma fase e que no fim tudo fica bem. Hoje eu chorei pela solidão que preenche minha alma, minha casa, minha vida. Hoje eu chorei por pensar no futuro que quero ter e na pessoa que quero ser. Hoje eu chorei porque as coisas não são tão fáceis como eu pensava que fosse quando criança. Hoje eu chorei porque senti saudades dos meus pais que mesmo presentes, são ausentes. Hoje eu chorei pelas amizades que eu já tive e pelas duas que ainda me restam. Hoje eu chorei pelos amores, oh, quantos amores. Hoje eu chorei por todos eles. Hoje eu chorei pelas pessoas que sofrem, pelos depressivos que precisam de ajuda e pelo desespero de precisar apenas de um abraço. Hoje eu chorei por sentir vontade de morrer. Hoje eu chorei por existir. Hoje eu chorei por ser eu. Hoje eu chorei por enfim perceber que apenas eu sou por mim.

Hoje eu chorei.
Hoje eu chorei, fitei as paredes do meu quarto e senti que as coisas comigo sempre serão assim. Solitárias, caladas, um vácuo.
Hoje eu chorei e continuou chorando porque o hoje ainda é hoje.

6 comentários:

  1. não sei se é por me sentir muito abraçada por esse texto, e outros que tenho lido essa semana, mas é incrível como nós, humanos, não estamos lidando bem com o presente. não sei se nossos antepassados sofreram com a solidão e outras questões como nós sofremos. não sei se ainda sofremos porque faltam estudos científicos para esses sofrimentos, ou incentivo, divulgação, conscientização.

    eu não consigo chorar frequentemente por tudo isso, mas quando choro é como abrir o peito e rasgar os olhos, de tanto chorar. e o que desespera é que tudo está aparentemente muito bem, obrigada. mas dói, continua doendo. e distrair-se da dor é cada dia mais difícil.

    ResponderExcluir
  2. Oi. Queria dizer que você não está sozinha. Uma coisa que eu aprendi e sei embora seja difícil lembrar disso nesses momentos, é que tudo passa. Mais clichê, impossível. Fico feliz que você tenha encontrado uma maneira de expressar tão bem isso que você está sentindo através das palavras, porque me fez realmente sentir tocada por esse texto. Espero que você receba meu abraço virtual e se precisar de mais amizades, vou até deixar meu número aqui (51 998500726), haha! Sempre que venho aqui fico apaixonada pelo seu cantinho.

    Hoje eu me apaixonei pelo texto e pelo plano de fundo. E pelo título do texto. Que coisa maravilhosa.

    Beijo!
    www.controversos.com

    ResponderExcluir
  3. Era difícil de eu chorar a uns dois anos trás, eu não tinha tantos amigos e tudo era como sempre. Mas com tempo, conheci muitas pessoas diferentes, vivi coisas pela primeira vez, senti-me mais sozinha que do que nunca, e ando chorado muito. Dias seguidos as vezes. Em uma fração do tempo estou me divertido, e pensando como a vida é bonita e leve, outro como tu é tão desgraçado e intenso. Sentir é difícil.

    ResponderExcluir
  4. Tempos atrás eu andava chorando pelos cantos imaginando o porque de eu ser sozinho. Meus irmãos conseguem se enturmar com bastante facilidade com as pessoas,de grupos,de rodinhas,talvez seja porque minha personalidade é diferente de todos. Eu tinha (ou tenho) uma amizade que faz falta por muitas vezes,agora "ela" está com outra amizade e eu aqui empoeirado,faz falta,sim,com certeza!

    O texto ficou marcado pra mim,me vi escrevendo,ou me vi vivendo ♡

    uma figueira

    ResponderExcluir
  5. ah, eu nem sei transcrever as coisas que passam pela minha cabeça agora, ao terminar de ler isso.
    me indentifiquei completamente com 99% das coisas ditas. hoje eu tive que sair no meio da aula porque não estava aguentando. sentei no chão da última cabine do banheiro feminino e chorei como se não houvesse amanhã, com os braços em volta das pernas. eu gosto de pensar no quão pequeno a de fato gente é, mas em momentos que a gente sente demais, eu só queria ter mais espaço em mim pra não transbordar desse jeito.
    fica bem, eu espero de verdade que as coisas melhorem. <3
    com carinho, bia

    ✧・゚: *✧・゚:* bia e o mar *:・゚✧*:・゚✧

    ResponderExcluir
  6. acho que vi muito de mim nesse texto. é muita coisa pra assimilar, fazer, sonhar, entender. essa sensibilidade e humanidade em que a gente absorve tudo ao nosso redor é tão inexplicável que chega um ponto em que a gente desmorona, mas não no sentido de fraqueza. mas de eliminar um pouco do peso de tudo e recarregar as energias, o coração.
    fica bem. você é incrível.

    com amor, lala
    ahamare.blogspot.com

    ResponderExcluir

oncontextmenu='return false'